Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Charme Fabuloso

Este é um cantinho fabuloso e cheio de charme onde eu vou partilhando as minhas experiências. Viagens e comida são os temas mais recorrentes aqui no blogue, mas não faltam assuntos sobre decoração e moda.

Charme Fabuloso

Ser filha única não é fantástico (nem bom)

os-trs-porquinhos-histria-1-638.jpg

 

 

Ontem voltaram-me a perguntar: quantos filhos quer ter? Eu respondo (sempre) prontamente: três. Depois ainda acrescento que espero que corra tudo bem no primeiro para eu não perder a vontade para os seguintes. Quero ter três filhos porque não gosto de ser filha única e, por isso, não gostaria de repetir o que me fizeram; e quero três porque tem que haver um para desempatar. 

 

Claro que isto é uma projeção do futuro que eu faço, não sei, sequer, se haverá condições para concretizar este desejo de ter uma casa cheia e uma vida mais preenchida. Ou se mais tarde mudarei de ideias porque ter um filho dá muito trabalho e despesa. Mas, hoje, é isso que eu quero.

 

Acho que há mais desvantagens em ser filha única do que vantagens. E aquilo que os de fora acreditam ser uma vantagem, na maioria das vezes é sempre uma desvantagem. Se eu quiser, neste momento, encontrar uma vantagem de ser filha única, eu não consigo encontrar (estou aqui farta de pensar), mas posso atirar já umas quantas desvantagens:

 

- segundo a lei natural da vida, a longo prazo as responsabilidades da velhice dos progenitores caem todas em cima de uma pessoa;

- em casa, ser filha única é uma grande solidão (ter muitos amigos não é a mesma coisa porque não sentem as tristezas e as alegrias familiares como nós, obviamente), já para não falar que os filhos únicos têm que fazer as tarefas todas em casa, não há com quem partilhar; 

- (ainda) em casa, para aí aos 15 anos da filha (o) já passam a existir três adultos em casa. As coisas começam a ser levadas muito a sério desde muito cedo (esta para mim é a segunda maior desvantagem);

- Não vou ser tia, nem de um lado nem do outro, se é que me entendem (que grande pontaria eu tive), também não vou ter cunhados nem cunhadas.

 

Bem, não me vou estar aqui a alongar mais para não ficar mais deprimida (calma, é só uma força de expressão). Mas se souberem de alguma vantagem em ser o único filho ou filha comentem o post, porque eu em quase 25 anos ainda não encontrei nenhuma vantagem.  

 

 

16 comentários

Comentar post